terça-feira, julho 19, 2005

EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS.

Uma ideia interessante posta em marcha. Porque não tornar a disciplina facultativa?. Afinal não é ao Estado e muito menos à Escola que compete educar os meus filhos. A ela compete ensinar. Se tal conseguir.

46 Comments:

Anonymous caorafeiro said...

100% de acordo!

e já agora deviam acabar com as aulas de religião e moral e com a sua 'opção' laica de deucação para cidadania ou lá o que é.

o ensino não pode ser ideológico. o que é preciso é por os meninos fazer contas de cabeça e a escrever sem erros 'HORTOGRÁFICOS'.

SOU COMPLETAMENTE CONTRA A EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS.

10:03 da manhã  
Anonymous oscar pinto said...

não concordo,

a educação sexual é puramente informativa e cientifica tal como as outras vertentes só vai ensinar as pessoas a ter uma vida sexual responsavel. formar cidadãos conscientes deles proprios e da sua realidade, de resto os pais que ensinem as crianças se devem ou não molhar o prego e com que idade.

11:30 da manhã  
Anonymous oscar pinto said...

a educação sexual não tem nada de ideologico, apenas informativo...

11:32 da manhã  
Anonymous João Dias said...

Tb não concordo, a disciplina não visa educar ou modelar algum tipo de comportamneto sexual, visa informar até em termos "técnicos" para questões que os próprios pais podem não ser capazes de esclarecer.
Além disso há muitos pais que não discutem "coisas dessas" com os filhos por isso é principalmente para esses que devia ser obrigatório, porque provavelmente os pais não os vão informar mas tb não vão querer que os filhos sejam informados...e nesse caso o lesado seria o descendente.

11:45 da manhã  
Anonymous caorafeiro said...

não sejam ingénuos!

11:58 da manhã  
Blogger Pinto Ribeiro said...

o que é uma vida sexual responsável para ti pode não ser para mim...há sempre transmissão de valores, em tudo, na escola. até pela simples presença do professor. há que respeitar a constituição também aqui. mais: o estado que se encolha. eu não preciso nem quero o estado a interferir na educação de ninguem.e a constituição di-lo, claramente.

12:03 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

ingénuos? então diz lá porquÊ?

a sexualidade é uma coisa normal como outra coisa qualquer, as pessoas tem o direito e o dever como cidadãos de se informar e estarem conscientes disso.

é uma questão de saude publica e de respeito para com os outros e para com eles mesmos.

até para acabar com uma certa superstição de tentação e todo esse tipo de coisas.

12:05 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

a educação sexual na escola, teóricamente interessante, viola pura e simplesmente a constituição. agora: imagina um professor católico e um bloquista a dar a mesma aula. achas mesmo que a aula vai ser cientificamente igual? e quem é o estado para definir cientificamente a matéria a ser dada?...

12:11 da tarde  
Anonymous caorafeiro said...

rapazes, rapazes!

agora estou com pouco tempo, mas, se estiverem interessados, logo à tarde apresentarei de forma mais sustentada a minha posição.

para já, pergunto-vos apenas, conhecem a expressão dual use?

pois, o que por vezes se apresenta como instrumento de progresso e de emancipação pode conter em si mesmo elementos que devidamente utilizados, produzam o efeito contrário.

até logo então.

12:12 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Uma vida sexual responsável é aquela que em termos probabilísticos nos dá mais garantias de não termos problemas de saúde derivados da nossa conduta sexual. A questão de com quem faz, se tem açaime, se não tem açaime...isso sim já é responsabilidade do descendente...
Agora a responsabilidade médica não é relativa, está relacionada com cuidados de saúde...e que melhor maneira do que ser informado.

12:14 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

a sexualidade não é só uma questão de saúde. mantem-se o problema. e o respeito pela Constituição. além de que não reconheço caspacidades especiais a qualquer professor para se substituir a mim enquanto educador. a DDR já morreu.

12:19 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Imagine que o professor convida médicos para irem tirar dúvidas isso não é uma mais valia.
Além disso não se esqueça que o professor tb vai ter de aprender mais, para poder ensinar algo útil.
E nem que de facto o pinto ribeiro saiba tudo...não se esqueça que há pais que não sabem nada.

12:27 da tarde  
Anonymous manel-dito-calhordus said...

Mom pitou ,ainda ensinam religiâo e moral? Nâo acreditava nos meus ouvidos,desculpem os meus olhos!Ah bem!Agora sei porque razâo escrevo indescifraldamente! Heim ésta é boa!Mas comtar sou bom, quando chega as contas para pagar nunca fiz um erro!

12:28 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

que desrespeito pela contituição... isso são problemas que estão a pôr que não tem sentido nenhum.

e é uma questão de saude pessoal e publica.

não é a questão da capacidade, o joão já falou a parte não é educar é informar.

essa do catolico e do bloquista (tinha de ser) não é bem assim, eles tem de ter formação adequada e não passam da ciencia.
e se passarem qual é o problema?
afinal a quem compete escolher dentro do vasto leque o estilo de vida proprio, individual e unico?
ao proprio individuo, isto será diferente claro se quiseres impor a tua maneira.

a ciencia já está definida como tal... sexologia etc e tal profissinais na matéria...

12:30 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

é AMIGO CALHORDUS. por ~cá o Estado continua a decidir tudo o que fazemos e pensamos. acho que o salazar ganhou mesmo. a esquerda portuguesa é toda salazarista.

12:31 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

eh pá que mania da perseguição...

é uma questão de livre pensamento. o meu caro pinto formou o seu pensamento o que acha mais correcto, o seu descendente tem todo o direito de conhecer outros e escolher entre eles, alias é uma questão de liberdade.

não me diga que é do estilo liberal na economia, conservador nos valores.

12:35 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Eu cá sou da p.i.d.e.
Cuidado que eu estou a ver-vos...cuidado que eu sou bufo...lol
Essas tiradas, pinto, não te favorecem nada, não credibilizam o que tu, com razão ou sem ela, pretendes demonstrar.

12:36 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

ó Oscar. eu não quero impor nada. eu quero é que me não imponham nada. diz a nossa Constituição que a EDUCAÇÃO DOS FILHOS É DA ÚNICA E EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DOS PAIS.a quem compete escolher, no que diz respeito aos meus filhos? nunca ao estado. ou a um professor. eu não abdico de ser pai a tempo inteiro e recuso essa visão da escola. a de depósito que se substitui aos pais.

12:39 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

eu sou da STASI. mas quem raio vai decidir que informação recebe ou não a minha filha de 10 anos... isso é stalinista. depois. não sou mas tinha todo o direito a ser conservador nos valores como outros têm todo o direito a não o ser. mas eu não quero interferir na educação do filho do meu vizinho ( se ele for ou aparentar ser um bom pai, mesmo que com princípios e valores completamente diferentes dos meus), e muito menos o Estado.

12:48 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

não é deposito que substitui os pais, nada disso.
é pura e friamente informativo.

é da responsabilidade dos pais educar os filhos, muito bem.
mas tem de haver espaço de manobra, caso contrario já é impor, e o teu filho nunca será imune ao exterior, felizmente.

não sei que modelo de educação dás aos teus filhos, sinceramente é contigo e pouco me importa.
os meus futuros filhos terão total liberdade de escolha, dar-lhes-ei sempre a minha opinião, conversarei com eles, mas acima de tudo vou ensina-los a fazer algo de muito importante para a formação livre de um individuo, que é questionar.

questionem-me a mim e a minha forma de pensar (alias é o exercicio mais puro de democracia e liberdade), questionem o mundo, questionem-se a si proprios, os outros e escolham...

conheçam tudo, isso só os poderá tornar mais ricos.

se ele chegar a uma idade se interessar e quiser ler mein kampf, a biblia, o corão, das kapital, o tratado da riqueza das nações, muito bem... que o faça, mas sempre de olhos abertos, espirito critico e consciente de tudo.

12:54 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

dez anos? nessa idade não há educação sexual...

o estado não é para aqui chamado, até porque já sabes o que penso do papel do estado e da educação que dá...

mais longe do estado do que eu, aqui pouca gente está, alias um dos primeiros anarquistas embora não se chama-se assim, Goldwin defendia uma educação totalmente separado do estado ou de qualquer identidade privada com interesses.

12:59 da tarde  
Anonymous João Dias said...

É pinto acho que continuas a puxar as coisas para um lado que eu tb não pretendo para a educação sexual.
Se de facto for uma visão de sexualidade, a sua conduta, que esteja a ser imposta...porra aí sou eu tb que me ponho contra esse tipo de "educação". Agora uma disciplina que informe sobre riscos é um serviço imprescindível e do qual não deves abdicar confundindo isso com algum tipo de tirania ditatorial...mas enfim opiniões. Ainda não me respondeste o que achas de certas famílias, algumas até muito religiosas, em que o sexo é tabu e depois a menininha acaba grávida porque não teve a formação para se precaver. Ou o menininho que é macho latino e acaba com sida porque não gosta de contraceptivos...eram anti-natura. Este tipo de situações são situações do presente...e se não fossem a educação sexual era de facto algo prescindível.

1:00 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

ó João. precisamente. 1º. dar o quê? como?...eu já informei a minha filha de uma data de coisas. face à idade dela. Óscar, como dizes ela questiona-me como os teus te questionam a ti. agora, face à omissão de certos pais, a maioria se calhar, vou autorizar que me "eduquem" a filha sem eu saber como, por um fulano que não conheço de lado nenhum...nã. criem gabinetes específicos de acompanhamento, facultativos, eu educo e a escola ensina, por exemplo, matemática. mais um bocado, em nome da diferença e da pluralidade, está a dar moral e religião.

1:30 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

atenção que eu disse totalmente separado do estado ou qualquer interesse.

não é a questão de deixar educar um individuo, é dar-lhe a noção de outras coisas diferentes, abrir-lhe os horizontes é bem diferente de doutrinar neste ou naquele sentido.
dar-lhe a noção do pluralismo e as diferentes formas, até certo ponto.

a educação sexual, e a senhora ministra já disse na tv, vai ficar pura e simplesmente pelo informativo.
caramba isso é puramente cientifico, o estudo da sexualidade humana é uma ciencia como outra qualquer.
é um facto como qualquer outro, não é uma valoração nem um juizo de valor. logo não é doutrinação.

se não, até certo ponto, é dar razão aos criacionistas que dizem que o evolucionismo é ateu ronhonho ronhonho...

2:05 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

mas o evolucionismo está morto. VIVA O CRIACIONISMO. o porko é o primeiro blog CRIACIONISTA da blogosfera, endoutrinado pelo Carlos Esperança...

2:19 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Ok...já informaste a tua filha...estás a personalizar uma questão que é mais lata.
Se tu eventualemente já informaste a tua filha, não é msitério nenhum que certos pais não são capazes e outros recusam-se sequer falar sobre isso. Por isso a educação sexual é principalmente a pensar nessas pessoas...mas nunca é demais, além da informação que os pais dão juntar a de uma disciplina meramente científica, com concelhos médicos de procedimento..nada mais.
Não estás à espera que vão para lá incentivar algum tipo de sexualidade...nem sadomasuquismo, nem tantra, nem misssionarices.

2:52 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

pois é. estou precisamente a pensar. e da pessoalização passo para o colectivo. não é função da escola imiscuir-se na educação de ninguem. é um dos equívocos deste país. a escola ensina. a haver necessidade que se criem gabinetes de apoio específico, facultativos. à escola o que é da escola. ler, contar e...a escola não pode nem deve intervir na esfera do privado. isso não é trabalho para professores. a escola já não cumpre com o que se lhe pede, ensinar, quanto mais educar.

3:01 da tarde  
Anonymous caorafeiro said...

POR QUE SOU CONTRA A EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS:

1- PORQUE O ENSINO PÚBLICO NÃO PODE SER IDEOLÓGICO. isto está consagrado na constituição. mas é sistematicamente violado pelo estado. mesmo a 'educação para a cidadania' é um instrumento de ideologia que devia ser banido. actualmente ensina-se a crianças de 6 anos regras de prevençao rodoviária para que elas, e isto é assumido pelos educadores CONDICIONEM O COMPORTAMENTO DOS PAIS. mas o que é isto? é estalinismo encapotado, na URSS é que as crianças eram incentivadas a delatar as actividades potencialmente subversivas dos pais.

2- PORQUE CABE AOS PAIS EDUCAR OS FILHOS SEGUNDO OS SEUS PRÓPRIOS VALORES, e o estado não tem o direito de fazer juízos de valores sobre a capacidade dos pais de educar os filhos (excepto nos casos que caem na alçada judicial, mas aí não é o ministério A ou B a actuar). ALIÁS, É CURIOSO QUE O APARELHO DO ESTADO QUE NÃO É CAPAZ SEQUER DE PROTEGER AS CRIANÇAS QUE POR INFORTÚNIO ESTÃO SOB A SUA ALÇADA (ex: casa pia, e quantas mais não haverá?) QUEIRA EM NOME DA SAÚDE PÚBLICA (quando não é capaz de assegurar que haja pediatras nos centros de saúde) OU DO PROGRESSO DAR AS TAIS INFORMAÇÕES SUPOSTAMENTE NEUTRAS.

3-PORQUE NÃO É POSSÍVEL SER-SE NEUTRO QUANDO SE ABORDA UMA QUESTÃO TÃO ÍNTIMA COMO O COMPORTAMENTO SEXUAL. mesmo na ciência não existe neutralidade, existem escolas de pensamento que divergem. portanto não é possível ao estado garantir-nos que a informação que os alunos recebem é isenta de juízos de valor.

4-PORQUE ISSO VAI DAR AZO A INÚMEROS ABUSOS. as crianças e os adolescentes são fáceis de manipular.

5-PORQUE A SEXUALIDADE NÃO SE EDUCA, VIVE-SE, É AQUILO QUE MAIS NOS LIGA À NOSSSA NATUREZA, E QUANTO MAIS FOR EDUCADA MAIS DOMESTICADOS NÓS SEREMOS. não é só pela via da religião que a nossa capacidade de usufruir de uma sexuadildade livre é condicionada. há inúmeros estereótipos que oprimem e de que maneira, os adolescentes (a discussão não é sobre adultos). por exemplo, é muito comum encontar rapazes e raparigas que, com 16 anos nunca namoraram. pois, mas o estereótipo dominante diz-lhes que não são normais, porque estatisticamente já ultrapassaram a idade média. MAS SE NA ESCOLA AS PESSOAS FOSSEM INCENTIVADAS A PENSAR, E NÃO APENAS PREMIADAS CONSOANTE A SUA CAPACIDADE DE REPRODUZIR O QUE O PROFESSOR DISSE OU O QUE VEM NO MANUAL, TERIAM UMA CAPACIDADE MUITO MAIOR PARA RESISTIR A TAIS ESTEREÓTIPOS.

6- PORQUE ISTO REPRESENTA A PERPETUAÇÃO DA DESRESPONSABILIZAÇÃO DOS PAIS QUE SE LIMITAM A DESPEJAR OS FILHOS NAS ESCOLAS.e que exigem dos professores que façam o que eles em casa não se dão ao trabalho de fazer: educar os filhos.

7- PORQUE, SE A ESCOLA NÃO É SEQUER CAPAZ DE ENSINAR AS PESSOAS A ESCREVER E FAZER CONTAS, de tal modo que menos de 50% dos alunos abandona a escola antes de completar o 9º ano, POR QUE RAZÃO DEVO ACREDITAR QUE VAI ENSINAR AS PESSOAS A SEREM RESPONSÁVEIS NA SUA SEXUALIDADE?

FINALMENTE, PARA CONCLUIR, penso que a questão da sexualidade, em relação à necessidade de prevenir doenças, a gravidez inedesejada, etc, se prende muito mais com a questão da responsabilidade individual. vivemos numa sociedade que não dá valor às crianças, que acha que as crianças não pensam, que as trata como bonecos. elas vão crescendo, e vão aprendendo a manipular os pais, chegam a adolescentes e já são mestres. eu também já fui criança e adolescente e lembro-me. conheço-lhes bem as manhas (o que me espanta é que os pais já se tenham esquecido que um dia tiveram as idades dos filhos. SÃO DESRESPONSABILIZADOS DE TUDO, E CADA VEZ MAIS. MAS DEPOIS EXIGE-SE QUE SEJAM RESPONSÁVEIS NUMA ÁREA EM QUE O INSTINTO FALA MAIS ALTO!

da minha parte, recuso-me a alinhar nisso, jamais permitiria que alguém se substituisse a mim nesta matéria, ou em qualquer outra que envolva a necessidade de ajudar os mais novos a lidar com as suas emoções de modo a criarem condições para serem adultos mais equilibrados.

4:05 da tarde  
Anonymous caorafeiro said...

peço desculpa pela extensão do texto, mas teve de ser.

óscar: detecto contradições no teu pensamento. onttem não confiavas na escola, hoje já confias...

saudações a todos, e especialmente ao calhordus

4:07 da tarde  
Anonymous João Dias said...

"FINALMENTE, PARA CONCLUIR, penso que a questão da sexualidade, em relação à necessidade de prevenir doenças, a gravidez indesejada, etc, se prende muito mais com a questão da responsabilidade individual."

Aqui discordo, existe claramente défices de informação, ou mais que défice de informação défice de pessoas informadas.


"PORQUE O ENSINO PÚBLICO NÃO PODE SER IDEOLÓGICO"

mais uma vez, ensinar regras de prevenção não é nada ideológico, as pessoas ficam com a informação, depois se quiserem cumprem se não quiserem se não quiserem não cumprem. Ou seja atingir o nível de alerta do tabagismo e afins, as pessoas estão informadas a partir dai é com elas. A escola informa não impõe.

"PORQUE CABE AOS PAIS EDUCAR OS FILHOS SEGUNDO OS SEUS PRÓPRIOS VALORES"

Isso posto assim é tudo muito bonito mas existe um défice de informação e isso, independentemente de os pais serem mais ou menos capazes, cabe ao ensino e a pessoas especializas na matéria colmatar. Não existe aqui nenhuma substituição aos pais. Para isso todo o ensino era uma substituição dos pais, ensina-se matemática, português e espero eu que se ensine métodos de combater o comportamento sexual de risco.

"PORQUE NÃO É POSSÍVEL SER-SE NEUTRO QUANDO SE ABORDA UMA QUESTÃO TÃO ÍNTIMA COMO O COMPORTAMENTO SEXUAL"

Mais uma vez não estamos a falar de comportamentos ao nível de conduta sexual é informação puramente clínica que poderia ser um médico a dar.

"PORQUE ISSO VAI DAR AZO A INÚMEROS ABUSOS"

Epá o professor é um bicho estranho, vai manipular as criancinhas...esse é um argumento, desculpe que lhe diga muito primário.

"PORQUE A SEXUALIDADE NÃO SE EDUCA, VIVE-SE, É AQUILO QUE MAIS NOS LIGA À NOSSSA NATUREZA, E QUANTO MAIS FOR EDUCADA MAIS DOMESTICADOS NÓS SEREMOS."

O propósito não é regulamentar condutas é evitar comportamentos de risco.

"PORQUE ISTO REPRESENTA A PERPETUAÇÃO DA DESRESPONSABILIZAÇÃO DOS PAIS QUE SE LIMITAM A DESPEJAR OS FILHOS NAS ESCOLAS"

A escola não pretende substituir os pais, a própria disciplina deve incentivar a participação dos pais...por isso vai no sentido oposto a essa declaração.

"PORQUE, SE A ESCOLA NÃO É SEQUER CAPAZ DE ENSINAR AS PESSOAS A ESCREVER E FAZER CONTAS, de tal modo que menos de 50% dos alunos abandona a escola antes de completar o 9º ano, POR QUE RAZÃO DEVO ACREDITAR QUE VAI ENSINAR AS PESSOAS A SEREM RESPONSÁVEIS NA SUA SEXUALIDADE?"

Quer dizer para o mal a responsabilidade é sempre da escola para o bem fica a responsabilidade parental. Se as crianças não frequentassem a escola ainda sabiam menos de matemática do que sabem...o mesmo se passará com os comportamentos de risco.


Nada disto visa desresponsabilizar as crianças, muito pelo contrário visa responsabiliza-las, ao estarem conscientes os adolescentes (sim é mais para adolescentes) estão a assumir a responsabilidade da sua sexualidade.

MAIS UMA VEZ NINGUÉM ESTÁ A IMPOR CONDUTAS A NINGUÉM, È COMO IR Ao MÉDICO E DIZER QUE ELE ESTÁ A NOS IMPOR ALGO QUANDO NOS DIZ...SE QUER VIVER MAIS VAI TER MUDAR OS SEUS HÁBITOS.

4:57 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

João, não sei se para o bem se para o mal: a pouca matemática que a minha filha sabe aprendeu-a no explicador. porque eu, como pai, responsável, preocupado, percebi que a escola estava a falhar redondamente. chumbaram várias colegas dela, por não saberem ou não terem explicadora. a escola não se incomodou. esta é a realidade.

5:10 da tarde  
Anonymous cãorafeiro said...

PINTO RIBEIRO:
no 12º ano, se quis entrar para a faculdade, tive de ir trabalhar para pagar explicações. a minha professora de matemática deu 2/3 do programa, e a de física de metade.

depois tive de fazer provas específicas. resultado: matemática 100/200 e física 70/200

sou eu que sou burro?

5:16 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

TENS DÚVIDAS?...só não vê quem não quer. sem ofensa, no ensino só está quem não sabe fazer mais nada.

5:21 da tarde  
Anonymous caorafeiro said...

as pessoas pelos vistos não se apercebem do potencial de manipulação a que coisas como esta da educação sexual se prestam?

eu não sou moralista em termos de costumes, pelo contrário sou muito liberal.

fui eu proprio vítima dos estereótipos que dominam a cabeça das pessoas neste aspecto, e não vejo em que medida a escola, que reproduz activamente tais estereótipos poderia ajudar...

quanto à parte de saúde, pois, as consultas de planeamento familiar nos centros de saude não são dadas por médicos, o estado nãoassegura uma rede primária de saúde, para aa qual pagamos, que garanta às mulheres que têm acesso a uma consulta ginecológica com regularidade, o que pouparia muitas vidas, a pílula contraceptiva não é gratuita. as mulheres são tratadas como gado nos blocos de parto, por exemplo na maternidade alfredo da costa, a epidural não está acessível a todas as parturientes, os pediatras nos centros de saúse só atendem crianças até 1 mês de idade, etc etc etc.

E DEPOIS VÊM-ME FALAR DE EDUCAÇÃO SEXUAL como se fosse a panaceia para todos os males da sociedade.
NÃO.
SERIA APENAS MAIS UMA FORMA DE CONDICIONAR O NOSSO COMPORTAMENTO, SERIAMOS ENSINADOS POR UMAS PESSOAS ILUSTRES O QUE É CERTO E ERRADO, A COBERTO DE UMA PRETENSE NEUTRALIDADE CIENTÍFICA!

quando os educadores sexuais começarem a pregar a abstinência, quero ver o quê que a esquerda moderna tem a dizer!!!!!!!!!!

5:25 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Cãorafeiro:
Quer dizer, não quer desresponsabilizar as criancinhas mas quando as coisas correm mal a coisa já é responsabilidade dos outros. Eu cá já tive explicações à força...a DGD...porque tive de anular a cadeira, ia ter 7...tive um mês de explicações e tive 19 no exame do 12ª.
E devem vocês pensar ele está a dar-nos razão, não propriamente é quem me deu a explicação foi uma professora...mas as explicações tem mais sucesso porque os professores podem dar mais atenção ao aluno, visto que as explicações normalmente são com poucas pessoas.

De resto era sempre a mesma história quando os testes tinham o meu nome eu tinha notas assim assim, quando chegava os exames que não identificados as minhas notas subiam sem excepção. Mea culpa, eu não sou muito afincado e os professores tb não perfeitos, mas lá que algunsme tentaram lizar em vão, lá isso tentaram.

5:30 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Oh pinto ribeiro, mas quem deu a explicação foi um/a prof...certo?
Se foi um prof, então o que é está mal, nestas coisas da educação não há coisas simples?
Diz-se que há muitos prof, mas o sucesso das explicações deve-se ao rácio aluno/prof...pois é, as coisas estão longe de ser simples.

5:33 da tarde  
Anonymous João Dias said...

"quando os educadores sexuais começarem a pregar a abstinência, quero ver o quê que a esquerda moderna tem a dizer!!!!!!!!!! "

É engraçado a abstinência é apanágio da religião...
Agora fazer futurologia não é a minha especialidade, eu baseio no que tem sido dito de como vai ser a educação sexual...se os educadores sexuais começarem a propor algumaconduta os pais e a esquerda moderna devem claramente condenar...mas estimular condutas não está previsto.

Já começa a cançar de bater na tecla de informação VS conduta.

5:38 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

como já disse eu também dei aulas. agora. este sistema faliu e os professores são parte dele e causa tbém do seu fracasso. claro que eu defendo muitas outras medidas. ía ser giro ver 70% dos professores no mercado de trabalho privado...mas nada disso justifica que venha alguem dar sexualidade à minha filha. isso não compete ao estado. quanto a moral, bom. todos temos princípios morais. espero. e daí não conseguimos sair. e transmitimos, mesmo inconscientemente, parte desses valores. mesmo que errados a olhos de outros. por exemplo. eu posso achar que é moralmente condenável praticar a IVG. mas longe de mim achar que o estado deve imiscuir-se na questão, opinar e legislar. isso é, ou devia ser do foro privado. o problema é que o estado ( e a igreja ) mete-se em demasiados assuntos em portugal.

5:48 da tarde  
Anonymous João Dias said...

O estado de facto não devia legislar para uma realidade pessoal como é o aborto...mas não saímos desta da informação VS conduta.
Para ficar claro vou fazer a seguinte pergunta:
Aceitas que sejam dados concelhos específicos sobre sexo, utilização de contraceptivos, questões de precaução em relação à saúde?

Ou achas que isso é estar a impor uma conduta?

5:54 da tarde  
Anonymous João Dias said...

errata
(concelhos) -> conselhos

5:56 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

Aceito, tranquilamente, fora do contexto de uma disciplina específica. Insisto. Só para isso não é preciso uma disciplina. Nem um professor. Arranjem enquadramento. Inserido, por exemplo, em complementaridade, com o trabalho de psicólogos, que já existem,criem gabinetes de apoio...mas primeiro é preciso saber o que se quer realmente ensinar. só isso? na alemanha vai-se aprendendo essa matéria na primária e não precisam de uma disciplina e de um professor próprios.

6:13 da tarde  
Anonymous João Dias said...

Então pronto que façam gabinetes, problema resolvido.
Só isso, é o essencial para as pessoas terem uma vida sexual sã...é a única coisa que, pelo menos eu, acho importante.

6:27 da tarde  
Blogger Pinto Ribeiro said...

BEM MAIS IMPORTANTE É POR EXEMPLO IR ensinando os miúdos e miúdas a saberem defender-se e proteger-se face a terceiros, desde pequeninos, tal como tbém se faz lá fora. mas vá lá... chegamos a ponto de entendimento. acho. 1 abraço.

6:33 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

desculpem lá mas atrasei-me e estou perdido aqui no meio.

caro caorafeiro,

não há contradição nenhuma, pois são coisas diferentes.
eu até toleraria a educação estatal se ela fosse mais realista e verdadeiramente criadora de cidadãos responsáveis, mas mais do que isso LIVRES.

para todos,

acho que todos aqui não se importariam que se desse filosofia mais cedo nas escolas, nem que se estudasse algo tão fundamental e vital que é a carta dos direitos humanos. isto sim o maior contributo para criar cidadãos conscientes.

os pais devem ser responsaveis pela educação no entanto temos visões distintas dessa responsabilidade.

eu entendo o meu filho de forma diferente que vocês.
considero-o um individuo unico, particular e distinto de mim e como tal deve ter uma educação baseado no livre pensamento, sendo que ele é um individuo livre.
não é educa-lo segundo os meus valores, mas antes ajuda-lo a definir-se como pessoa critica, inteligente, sensivel, capaz não só de se defender fisicamente, mas intelectualmente de ideias erradas e criminosas.
ajudando-o a definir-se.

eu fui educado assim, e considero que a maior prova de amor e respeito pela liberdade e individualidade do meu filho é educa-lo dessa forma, fazer dele alguem critico, consciente e completo.

é a minha forma de pensar e a base de uma educação libertária.

portanto já estas a ver a grande diferença entre a lei e o que eu penso.

quanto aos pontos que frisaste caro caorafeiro, não estou de acordo.

7:19 da tarde  
Anonymous manel-dito-calhordus said...

Ah muitos anos eu vi um ducomentario sobre a educaçâo sexual na Suéda,os jovens mais o menos, nâo tiveram um efeito positivo du conctato,sexual como tal. Quére dizer, nâo lhes diz nada como os filmes o apresentam nos filmes porno. Os pobres tipos que iam as casas,ditas prostitutas, vangloriavam-se da sua performança, mas fasiam -se rir nas costas.PS eu que o diga! Nâo :nem pensar nisso, nâo quéro fazer a moral! Mas creio que o dever de todos os pais: é de explicar aos seus filhos a responsabilidade d'amor. O amanha pode trazer!! Ou é tâo lindo como o céu azul, cheio de tantos sonhos, como o inférno que nos nos prometem, esses chiens raivosos

7:35 da tarde  
Anonymous oscar pinto said...

em relação a abstinencia etc...

eu já fui a um coloquio numa escola sobre isto e por acaso falam de abstinencia, masturbação, ejaculação precoce, preservativo, etc e tal...
no fundo o sexo encarado como uma coisa normalissima.
tudo perfeitamente normal, e não dizem às "crianças" (vamos ser realistas, 16 anos já se é um jovem adolescente, não se é ingenuo e muito menos inocente) façam isto não sei quantas vezes por dia etc e tal.

isso é uma ideia errada e feita...

com 16 anos eles já sabem qual é o canal pornografico ou em que botão carregar, assim como eu com essa idade. e tenho o que se pode considerar uma relação monogamica normalissima.

7:40 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home